27 abril 2011

Videolaparoscopia. A cirurgia que desobstrui as trompas


Olá! Sempre a pessoas fazendo a mesma pergunta: O que é videolaparoscopia? Então deixo aqui uma explicação Com uma linguagem fácil de entender - o que é e como é realizado esse procedimento. Segue abaixo. Beijos!!!!!


Videolaparoscopia

Cirurgia que permite descobrir doenças e fazer operações de alta complexidade. É uma micro câmera de vídeo que filma o que há no abdome e mostra as imagens em uma tela de televisão.

1º - Depois da anestesia geral, o especialista faz um corte no umbigo de no máximo 1 centímetro para colocar o primeiro equipamento, onde ficará a câmera de vídeo.

2º - Além da incisão no umbigo, são feitas outras duas na barriga - ás vezes três - com cortes de meio a um centímetro, para passar os outros instrumentos da cirurgia.

3º - Um tubo passa pelo equipamento do umbigo para encher a cavidade abdominal de gás carbônico. O gás é essencial para afastar as alças do intestino. que podem atrapalhar a operação.

4º - Pelo local por onde passou o tubo, é colocada a micro câmera de vídeo que mostrará as imagens da cavidade abdominal em uma tela de televisão. A câmera fica até o fim.

O equipamento

Além dos aparelhos que ficam no abdome para passar a câmera e os instrumentos da cirurgia (pinças, bisturis, tesouras, etc), há todo um equipamento que controla as reações do paciente e a pressão do gás dentro do abdome.

Operação


O médico especialista não realiza a cirurgia sozinho. Ele conta com o apoio de um ou dois outros médicos auxiliares, além de um enfermeiro. A cirurgia exige muita delicadeza, pois os movimentos são avaliados apenas pela tela da televisão.

História

A videolaparoscopia foi desenvolvida pelos alemães na década de 80. A primeira cirurgia feita no Brasil foi de vesícula biliar, em 1990, em São Paulo, e em Brasília em 1991 no Hospital Santa Lúcia. Na Europa e nos Estados Unidos, cerca de 70% das cirurgias abdominais são feitas com videolaparoscopia. O treinamento para lidar com tais equipamentos é feito em porcos ou em bonecos.
 
Vantagens

O sangramento, quando feita a videolaparoscopia, praticamente inexiste. Na maioria das vezes, gazes são suficientes para estancar o sangue. O tempo do pós-operatório diminui em três vezes. O uso de antibióticos, antiinflamatórios e anestésicos é bem menor. O risco de se formar hérnia abdominal - que aparece quando um corte de uma cirurgia tradicional deixa a parede do abdome mais fraca e esta cede com esforço físico - cai em cinco vezes. Diminuem pela metade os riscos de infecção, graças às incisões mínimas e ao pouco sangramento.

Como o trauma da cirurgia é bem menor, as chances de se formar aderência entre órgãos - quando o tecido de um órgão se fixa ao de outro - ficam reduzidas em cinco vezes. O pós-operatório é bem mais rápido e a pessoa volta a andar logo. Isso reduz as chances de acontecer o que se chama de tromba-embolia (formação de coágulo no pulmão, que pode ser fatal). Por fim, há muita vantagem estética, pois as cicatrizes quase não aparecem.

Contra-indicação

Quem tiver insuficiência cardíaca grave não pode fazer essa cirurgia. As complicações que podem acontecer são: lesão na alça abdominal e em vasos sanguíneos.

Com essa nova abordagem cirúrgica são realizadas hoje quase a totalidade das operações abdominais feitas pelo método convencional aberto, como por exemplo:

Cirurgia da vesícula (pedra na vesícula);
Cirurgia da hérnia do hiato (cura do refluxo gastro-esofágico);
Cirurgia do megaesôfago;
Cirurgias do estômago (úlceras e tumores);
Cirurgia do apêndice;
Cirurgias do intestino grosso e delgado (doenças benignas e malignas);
Cirurgias das hérnias inguinais;
Cirurgias do fígado e do baço;
Diagnóstico e tratamento do abdome agudo infeccioso;
Diagnóstico e tratamento do abdome agudo traumático.
Essa abordagem diminui significativamente as cirurgias desnecessárias no abdome infeccioso e traumático, bem como direciona o seu tratamento.

Cirurgias ginecológicas
Útero (histerectomia);
Trompas (desobstrução, retirada, etc);
Ovário (cistos e tumores);
Endometriose;
Diagnóstica.

Preparo pré-operatório:
Jejum mínimo de 6 horas;
Internação 2 a 3 horas antes da cirurgia (exceto em situações específicas);
A bexiga deve estar vazia;
Os exames devem constar no prontuário;
É realizada sedação pré-anestésica;
O ato cirúrgico é realizado sob anestesia geral;
É realizado pneumoperitônio (introdução de gás na cavidade abdominal);
A cirurgia é a mesma realizada pelo método convencional (aberta); através desta abordagem cirúrgica se realiza a mesma cirurgia com uma ampliação de cerca de 20 vezes e com um espaço cirúrgico amplo desenvolvido pelo gás insuflado na cavidade abdominal.

Pós-operatório :

É menos doloroso;
Permite deambulação precoce;
Respiração sem dificuldade;
A grande vantagem da cirurgia laparoscópica está relacionada com o mínimo trauma que ela estabelece, deixando praticamente íntegra a parede abdominal (mínima dor e efeito estético incontestável);
A alimentação é precoce;
Alta nas primeiras 24 horas na maioria das cirurgias;
Retorno às atividades habituais em poucos dias (04 a 07 dias na maioria dos casos).

7 comentários:

luciana disse...

tenho trompas obstruidas, ja tentei fazer uma fertilização in vitro e não deu certo, gostaria de saber se fazendo a videolaparospia tenho condições de engravidar.

mariana gomes disse...

Tenho apenas uma trompa e obstruida fazendo esse procedimento de videolaparospia posso engravidar ???? Tenho 25 anos e sonho em ser mae ja engravidei mas perdie com 5 meses de gestaçao

mariana gomes disse...

Qual o valor desse procedimento????

Beel Danadiiñha disse...

Tenho cisto no ovário, e vou fazer minha tão sonhada videolaparoscopia pelo SUS pois particular custa 15 mil reais, tbm sei qe é recomenda para desobistrução de trompas

l� disse...

fiz uma VIDEOLAPAROSCOPIA no ano de 2011 onde descobriram aderencias pelvicas desfeitas mas obstrução de trompas bilaterais sem exito de funcionamento. O parecer médico foi: engravidaria apenaz com fertiliozação INVITRO!...Hj com 3anos passado estou gestante de poucas semanas e engravidei naturalmente,por tanto não sei bem ao certo se foi pela cirurgia, só sei que tudo me valeu a pena por isto ñ custa nada tentar.

sandra cunha disse...

fiz esse procedimento e graças a deus correu tudo bem agora estou me recuperando.vou esperar minha tao sonhada gravidez se deus quiser em breve.nao tenha medo de fazer videolaparoscopia é super tranquilo.

Márcia Costa disse...

OI SOU MARCIA TENHO T38 ANOS,FIZ A 10 DIAS A VIDEOLAP.PARA DESOBSTRUIR TROMPAS,POREM A DR DISSE QUE NÃO FORAM DESOBSTRUIDAS,QUERO MUITO SER MÃE.NÃO TENHO CONDIÇOES PARA FAZER FIV,TO TÃO TRISTE.OREM POR MIM.OBRIGADA

Podera tambem gostar de